O cérebro holonômico

POSTADO POR thiago 6, setembro, 2019
Comportamento

Autor: Carlos Diz – Fundador do Instituto Brasileiro de Neuroliderança

O físico-matemático húngaro John von Neumann calculou que ao longo de uma vida de duração média, o cérebro humano armazena 2.8 x 10 to the power 20 bits de informação ou 35 bilhões de Gigabytes. Se esse número é exato ou não é difícil de saber, mas, a questão chave não é essa. A questão chave é como e onde tanta informação é guardada? E a dúvida sobre “onde” não é em relação ao espaço, pois sabemos que a capacidade de “armazenamento” do cérebro é bem maior, e sim em que local ou locais do cérebro localiza-se a memória ou as memórias.

O Prof. Dr. Karl Lashley de Harvard, nos anos ‘50, conduziu experimentos com ratos para ver se cortando partes de seus cérebros conseguia “apagar” parte de suas memórias. O resultado foi surpreendente: a retirada de partes do cérebro não comprometia as memórias. Sua conclusão foi que a memória não é localizada e sim distribuída através do cérebro todo.

Mais recentemente o neurocirurgião e professor de Stanford Dr. Karl Pribram, partindo de observações parecidas com as do Dr. Lashley, formulou uma teoria conhecida como teoria holonômica do cérebro, em poucas palavras, o cérebro funciona como um holograma no que tange à memória.

O holograma é como uma fotografia só que produzida apontando dois ou mais feixes laser no objeto, e gravando o padrão de interferência entre eles num pedaço de filme sensível. Ao olhar para o holograma não é possível distinguir imagens, mas aplicando sobre esse um feixe de laser seguindo o mesmo padrão usado para gravá-lo, reproduz-se a imagem do objeto original em 3D, como se o objeto estivesse lá presente. O que é fascinante, porém, e relevante para o tema de memória, é que se cortarmos fora um pedaço do holograma com uma tesoura e aplicarmos o laser, a imagem produzida continuará completa. Cortar um pedaço do holograma não afeta a integridade da imagem. E pode continuar cortando que ela continuará inteira, só irá perdendo definição/clareza.

Não sabemos bem como, mas, a imagem completa está guardada em todas partes do holograma ao mesmo tempo, não sabemos bem como. Exatamente o mesmo comportamento da memória como observou o Dr. Lashley.

TAGS
Linkedin Facebook Twitter Instagram WhatsApp E-mail

Postado por thiago

thiago.

POSTE UM COMENTÁRIO

Nenhum Comentário